segunda-feira, março 21, 2022

A cheirar a Primavera com a LEMON Magazine | Smelling the Spring with LEMON Magazine | Den Frühling riechen mit dem LEMON Magazin | Sentir le Printemps avec LEMON Magazine | 에서 봄을 느끼다



Grandiosas Saudações.

Saiu no dia 10 de Março, o Número 13 da LEMON Magazine, Edição Primavera, onde podem encontrar 6 ilustrações da minha autoria.

Para já, e de forma a aguçar-vos a curiosidade, deixo aqui uma dessas seis ilustrações, assim como, o processo pelo qual a mesma passou, que vai desde o primeiro esboço, até ao resultado final. Espero que gostem

Até mais, até lá já sabem - desejo-vos tudo de mágico

Elisabete, a Borboleta Despenteada




domingo, março 20, 2022

A Maria está e volta… em GIF | Maria is back… in GIF | Maria ist zurück… in GIF | Maria è tornata... in GIF


Grandiosas saudações.

A Maria, que em 2013 nascia, e entre outras demais coisas, ficava espantada com a chuva que fazia, chega a 2022 cheia de movimento.

Maria, primeiro desenho, depois personagem inquieta, com um temperamento que não cabia numa só ilustração, fez assim render uma série de várias ilustrações que muito mais tarde seriam também exposição.

Às vezes olho para trás, para coisas mais antigas que fiz, e na maioria dos casos penso que podia, ou devia, ter feito de forma diferente várias coisas… Ah, quantas coisas poderia mudar… céus, seriam muitas, mas passou o momento e apercebo-me de que já não faz muito sentido andar a refazer tudo aquilo, até porque se assim fosse, provavelmente passava a vida a refazer o que outrora fora feito, e então ficava ali, e só ali, numa espécie de círculo vicioso que não me deixaria avançar.

Creio que é preciso aceitar, que aquilo foi o nosso melhor naquele momento, que faz parte de um percurso e de um processo. Obviamente, nem sempre é fácil aceitá-lo.

Com a Maria é diferente, não sei explicar, há uma ligação e uma ternura para com a Maria que me deixa muito feliz perante o resultado obtido. Os anos passam, e o meu carinho por ela continua intenso e imenso.

Curiosamente acho que isso não aconteceu só comigo, pois a Maria é das poucas personagens que reúne consenso cá em casa, e pela qual todas as minhas manas têm uma afeição especial.

Talvez seja essa junção de génio forte e ingenuidade, que torna a Maria tão carismática aos nossos olhos… ou talvez seja outra coisa qualquer… não sei bem! O que sei com toda a certeza, é que às vezes tenho saudades da Maria, e a única coisa que lamento é não ter feito mais ilustrações com ela.

Há já algum tempo, estava a falar com uma das minhas manas e ela sugeriu de eu a repescar… “- Porque não pegas novamente na Maria?, porque não a animas?!”, perguntava ela… e ficou a ideia, a criar raízes… lentamente…

Há algumas semanas atrás sentei-me, deixei a ideia que tinha andado a criar raízes brotar… e a Maria conheceu o movimento perpétuo.

Das várias ilustrações que havia da Maria, animei duas. Uma delas podem-na encontrar no rosto do meu site, a outra, como já puderam ver mais acima, fica aqui. Encarem a que aqui deixo, como uma Maria espantada, mas feliz, com a chuva que se fez sentir neste início de Primavera.

E por hoje é tudo.

Até mais, até lá desejo-vos como sempre, tudo de mágico  

Elisabete, a Borboleta Despenteada

segunda-feira, janeiro 31, 2022

Envenenar o Planeta que nos alimenta, é envenenarmo-nos a nós mesmos | 私たちを養う惑星を毒殺することは私たち自身を毒殺することです | Empoisonner la planète qui nous nourrit, c'est s'empoisonner soi-même | Den Planeten zu vergiften, der uns ernährt, bedeutet, uns selbst zu vergiften

Grandiosas saudações.

Foi no passado dia 11 de Janeiro que se comemorou o Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos no Brasil, e foi com o intuito de assinalar essa mesma data, que realizei esta ilustração para o site Mulheres Jornalistas.

https://mulheresjornalistas.com/dia-do-controle-da-poluicao-por-agrotoxicos/podcasts/charge/

Os chamados agrotóxicos começaram por ser utilizados para controlar pragas e doenças nas plantações agrícolas, mas o seu uso contínuo, e muitas vezes indiscriminado e abusivo, depressa começou a causar danos colaterais no solo, na água, no ar, nos consumidores... e na saúde dos trabalhadores agrícolas, uma vez que, uma grande parte dos agricultores não utiliza sequer o equipamento adequado de protecção.

Vários estudos revelam que o Brasil não só é o país que mais agrotóxicos consome, como é também, o país que consome os agrotóxicos mais nefastos. O sector agrícola é o que concentra a maior fatia, e o próprio governo brasileiro não só não faz nada para resolver esta situação, como inclusive, oferece estímulos fiscais a quem decidir utilizar agrotóxicos, (ou não tivesse o sistema político e a indústria, muito a ganhar com estas “gigantes”), fazendo assim, com que o Glifosato seja actualmente um dos pesticidas que mais brasileiros mata por intoxicação.

Importa referir, que o consumo prolongado de comida com excesso de agrotóxicos provoca problemas neurológicos, cancro e mal formações nos fetos em gestação.

Há muito se ouve falar do Glifosato da Monsanto, do Endosulfan da Dupont, da Syngenta, etc… gigantes contra as quais foram levantadas várias Petições e vários estudos ao longo da última década, isto já para não falar nos processos movidos contra a Monsanto.

Em 2016 com a aquisição da Monsanto, a Bayer transforma-se na maior agroquímica do mundo, e em finais de 2017 a Comissão Europeia dá luz verde para que o Glifosato seja utilizado durante mais cinco anos, isto, apesar de ter sido entregue uma Petição da AVAAZ com mais de um milhão de assinaturas, de cidadãos e cidadãs de toda a Europa, a pedir a sua proibição.

Entre 2017 e 2020 foram efectuadas várias auditórias aos Estados-Membros, e em Maio de 2020 foram apresentadas metas para uma redução de 50% da utilização dos pesticidas químicos... e... dos pesticidas mais perigosos. Mas como bem sabemos, da apresentação das metas à implementação das mesmas, vai outro enorme passo.

Os agrotóxicos são sem dúvida alguma um problema muito sério, problema esse, que está muito longe de se cingir a um único país.

Segundo dados da Plataforma Transgénicos Fora, da qual a Quercus é membro e parceira, em 2016 Portugal revelava uma contaminação descontrolada de Glifosato, com valores cerca de 20 vezes mais elevados que os detetados noutros países europeus... e… 260 vezes acima do que é permitido na água para consumo humano. O glifosato, para além de encontrado em análises feitas à urina e à água, foi também encontrado em análises de rotina feitas a alimentos, ao ar, ao sangue e ao leite materno.

Em Novembro de 2020, o parlamento Português aprovou a votação na especialidade do Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), com uma proposta do PAN, que proíbe a comercialização para usos não profissionais de herbicidas contendo Glifosato. Votaram contra esta proposta o PCP e o PSD, abstiveram-se o Chega e a Iniciativa Liberal, votaram a favor o PAN, o Bloco de Esquerda e o PS, contudo, dada a falta de fiscalização, muitas são ainda as autarquias que utilizam o Glifosato em espaços públicos.

Além disso, o Glifosato "foi abolido" dos espaços públicos e foi proibida a venda para usos não profissionais, mas, as grandes indústrias não só podem, como continuam a usá-lo, permitindo desta forma que o Glifosato permaneça bem presente na nossa agricultura… e na nossa mesa.

Já no Brasil, a ANVISA não só não está a conseguir controlar a situação, como parece sucumbir cada vez mais ao lobby das indústrias, o que faz com que o Brasil tenha batido o recorde em 2021, ao liberalizar 562 agrotóxicos.

Vivemos num mundo cada vez mais cinzento e doente, onde até os alimentos de aparência saudável e robusta, estão cada vez mais envenenados.

Mas voltando à ilustração  deixo-vos para terminar, um pouquinho do processo pelo qual ela passou, assim como, o resultado final, que podem encontrar também no site "Mulheres Jornalistas", cujo link deixei mais acima.

Espero que gostem



Até mais, até lá já sabem, desejo-vos tudo de mágico 

Elisabete, a Borboleta Despenteada

sexta-feira, dezembro 31, 2021

Luz reconfortante


Que o vosso 2022 seja tão luminoso quanto reconfortante.
Até mais, até lá já sabem, desejo-vos tudo de mágico.

Elisabete, a Borboleta Despenteada

sexta-feira, dezembro 24, 2021

Boas Festas | Happy Holidays | ハッピーホリデー | Schöne Ferien | Laethanta Saoire Sona | 해피 홀리데이 | Счастливых праздников | Joyeuses Fêtes


Grandiosas saudações.

Só para vos desejar um Natal repleto de bons e doces momentos.

Que os vossos mais belos desejos se concretizem, não só neste Natal que já se revela, como no novo ano que em breve vai começar.

Haja força de vontade, saúde e muita criatividade. Haja trabalhinho remunerado, muita paz, muita paciência e muitíssima sapiência. Haja amor a rodos, muitos chocolates e muitos bolos.

Deixem-se contagiar pela felicidade, pelas luzes e pelas luzinhas, seja essa luz a dos enfeites de natal, ou, a da vossa chama interior… e… se ficarem com frio, que o calor da euforia, ou o que na lareira crepita, vos deixe - “quentinhos que nem ratos”.

Até mais, até lá, desejo-vos umas épocas Festivas cheias de magia


Elisabete, a Borboleta Despenteada

terça-feira, novembro 30, 2021

Da Liberdade à Escravidão | Von der freiheit zur sklaverei | From freedom to slavery | 자유에서 노예로 | От свободы к рабству | 自由から奴隷制へ

Grandiosas saudações.

No seguimento da minha colaboração mensal com o Site Brasileiro Mulheres Jornalistas, aproveito para partilhar aqui com vocês o processo, e a ilustração, deste mês que já finda.

A ilustração em causa vem a propósito do passado dia 20, data em que se comemorou o Dia Nacional da Consciência Negra, a fim de encorajar a luta contra o racismo e a descriminação, assim como, relembrar-nos de todos os importantes contributos dados pela Cultura Negra no Brasil ao longo dos últimos séculos.

Da capoeira ao candomblé, do samba ao axé, passando pela culinária com a famosa feijoada, o vatapá, o caruru e o acarajé, (alguns de entre tantos outros pratos cuja longa lista não cabe aqui)... as influências dos cerca de quatro milhões de africanos que foram trazidos para o Brasil para serem escravizados são incontáveis, e passam também pela língua, que herdou deste povo palavras como – caçula, cochilar, moleque, xingar, samba, ou bunda…

A influência cultural africana é vastíssima e abrange todas as áreas da formação cultural brasileira, inclusive, festividades, religiosidade e música. Foram os africanos e os seus descendentes no brasil, que deram início ao carnaval de rua e à música popular brasileira, pelo que, se impera dizer, que o contributo deste povo é inegável para com a cultura brasileira, como tal, está na hora de lembrar, reconhecer e integrar o povo negro e a sua história, na história de todos.

Talvez o que nos impede enquanto seres humanos de ser mais tolerantes, seja essa insistente incapacidade de ver o outro nu, nu de rótulos de tom de pele, religião, sexo ou classe social.




E por hoje é tudo.

Até mais, até lá desejo-vos tudo de mágico

Elisabete, a Borboleta Despenteada

terça-feira, outubro 26, 2021

Todas as crianças deviam ser selvagens | Alle Kinder sollten wild sein | 所有的孩子都應該是狂野的

Há qualquer coisa de maravilhoso em ser criança, talvez pela ingenuidade de se conseguir ver o mundo mais claro e mais leve, mais simples e mais justo. Há sim, qualquer coisa de maravilhoso nesse nosso estado mais primitivo e selvagem, onde ainda não se vislumbram muros de ódio, cobiça, ganância, preconceito e destruição… é sem dúvida uma passagem pela vida mais pura, mas que na maioria dos casos, e à medida que o tempo passa, se vai destruindo, ora de fora para dentro, ora de dentro para fora.

É tão curto esse tempo para se ser criança, e se ele já é curto, então porquê encurtá-lo ainda mais?! Deixem as crianças que vos rodeiam ser simplesmente crianças enquanto podem… deixem-nas sonhar… e amar… sem limites ou malícia.

O Dia da Criança, foi este o tema para a minha colaboração número três com o site - “Mulheres Jornalistas”, dia esse, que no Brasil é comemorado em Outubro.

Para verem a ilustração e lerem o texto que a acompanha no respectivo site, basta seguirem o link:

https://mulheresjornalistas.com/todas-as-criancas-deveriam-ser-selvagens/podcasts/charge/

Para terminar, deixo aqui o processo das venturas, e, eventuais desventuras, desse percurso criativo. Espero que gostem






E por hoje é tudo.

Até mais, até lá desejo-vos tudo de mágico

Elisabete, a Borboleta Despenteada

sábado, setembro 11, 2021

A Joaquina, todos os dias é Heroína | Joaquina ist jeden Tag eine Heldin | ホアキナは毎日ヒーローです


 

Grandiosas saudações.

A 3 de Dezembro comemora-se o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, já o Dia NACIONAL da Pessoa com Deficiência, esse, vai variando de país para país; em Portugal, por exemplo, a data comemora-se a 9 de Dezembro, enquanto que no Brasil a data é comemorada no dia 21 de Setembro, e é esta última data, a data que me trás até aqui.

A propósito do aproximar do dia 21 de Setembro, e da comemoração do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência no Brasil, o Site Mulheres Jornalistas lançou-me o desafio de ilustrar algo relacionado com esse tema.

Que a pouco e pouco, possamos vivenciar uma Sociedade cada vez mais justa e mais INCLUSIVA.

Para verem esta segunda ilustração que fiz em colaboração com as “Mulheres Jornalistas”… e… para lerem o pequenino texto que a acompanha, basta seguirem o link:

https://mulheresjornalistas.com/a-joaquina-todos-os-dias-e-heroina/podcasts/charge/

Para além do resultado final, (que podem encontrar não só no link deixado mais acima, como aqui), deixo-vos também uma parte do processo, pelo qual, passou esta Joaquina Heroína.

Espero que gostem




E por hoje é tudo…

Até mais, até lá desejo-vos tudo de mágico  

Elisabete, a Borboleta Despenteada

quinta-feira, setembro 02, 2021

Limoeiros Imaginários | Imaginary Lemon Trees | Imaginäre Zitronenbäume


Grandiosas saudações.

Setembro inicia, para trás fica um Agosto bem amarelo, pelo sol, e pelos mais novos limões a preencher a parede da cozinha.

E lá estão eles, limoeiros que se espreguiçam como a imaginação. Têm ramos e raminhos que se alastram por um azul que não é o do céu, vestem-se com pequenas folhinhas, enfeitam-se de limões.

São os meus limoeiros imaginários, de folhas cujo tom e tamanho está longe de condizer com o das folhas dos limoeiros reais. Limoeiros imaginários, de troncos robustos e castanhos, que em nada conferem com os tons verdes dos limoeiros, sim, aqueles, os verdadeiros, que habitam já ali no quintal.

Dessa aventura que começou a giz, deixo aqui a documentação do processo… e… um agradecimento gigante à minha mana Marta, que está sempre aqui a apoiar no mês de Agosto, seja para pintar, (o mais que não seja o fundo, de azul), seja para segurar o escadote, dar força e fazer companhia… ou… para lavar pincéis. Muito obrigada querida maninha

Ups, já quase me esquecia da outra mana que andou por aqui, mas não esqueci, como tal - Obrigada também à menina Ângela, pela ajuda que deu nas limpezas... e a tapar buracos  Acho que posso dizer que fizemos uma belíssima equipa 


E por hoje é tudo… espero que gostem do que se segue.














Até mais, até lá, se possível, fiquem bem

Elisabete, a Borboleta Despenteada

Quais são as mais populares?!