terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Querido Diário | Dear Diary | Cher Journal | Buku harian yang dihormati | Liebes Tagebuch | Дорогой дневник | Diary nzuri | Egunkaria Maitea | Эрхэм хүндэт өдрийн тэмдэглэл | Kära Dagbok | 親愛的日記



É uma alegria imensa sentir que a Mãe Natureza está bem!

Frase retirada do texto “Querido Diário”, escrito pelo 3ºA da Escola Básica José Manuel Durão Barroso, do Agrupamento de Escolas Gomes Teixeira, ArmamarViseu, e que está presente no volume IV das Histórias da Ajudaris’18.

Grandiosas saudações.

Na impossibilidade de contribuir com algo maior e mais significativo, contribuo com aquilo que me é mais familiar e está ao meu alcance, ou seja - o meu trabalho enquanto ilustradora.

As Histórias da Ajudaris são um elo forte de afecto e entreajuda, e perante esse facto, como recusar o pedido de ajuda que começaram por me fazer em 2014, quando me desafiaram a embarcar nesta aventura que é da Ajudaris e de todos/as nós, pequenas formigas ajudantes, que vão da escrita à ilustração, passando pelo design, pelos mecenas, pelos voluntários contínuos, pelas escolas, professores e professoras, alunos e alunas, pelas famílias que precisam de nós, etc, etc, etc.

Como recusar participar de tudo isto, mesmo que de forma tão pequena, quando a causa é tão nobre?!

De 2014 a 2018 passaram-se 5 anos num piscar de olhos, mas parece que foi ontem que ilustrei “Lenga-lenga – Coelhinho”, a primeira de todas estas histórias.

As Histórias mais recentes a serem ilustradas por mim para a Ajudaris são do ano de 2018, e são 3 para ser mais exacta, uma de Coimbra, outra do Porto, e outra de Viseu. Destaque hoje para a história de Viseu intitulada de – “Querido Diário”, e da qual destaco a frase que já apresentei mais acima - “É uma alegria imensa sentir que a Mãe Natureza está bem!”.

A bem dizer a verdade a Mãe Natureza não está assim tão bem, mas dependendo da boa vontade de todos/as nós, ela pode ficar bem melhor num futuro próximo.

O texto em questão fala de várias coisas acerca da Natureza, mas eu em particular senti o forte impulso de ilustrar esta frase em específico, não porque o resto do texto não tenha interesse, mas porque no fundo esta frase traduz o que de todo o coração desejo que aconteça num futuro próximo – Podermos Sentir… e Ver… a Mãe Natureza a recuperar de todos os estragos que temos feito com ela ao longo dos últimos anos, para que, as gerações vindouras possam dizer com verdade absoluta - É uma alegria imensa sentir que a Mãe Natureza está bem!”.

Até mais, até lá tratem bem o pouco verde que ainda nos rodeia.

Elisabete, a Borboleta Despenteada

Sem comentários:

Enviar um comentário